No quintal

no quintal1”Meu quintal é maior do que o mundo. E as pedrinhas do meu quintal também são maiores do que as pedras do mundo.”  Memórias Inventadas, a Infância – de Manuel de Barros.

Levei Artur para brincar no quintal, na casa de amigos, e, fiquei ali observando de que forma ele exploraria o novo ambiente e quais seriam as experimentações do dia. Ele encontrou as pedrinhas do quintal.

Descalço, caminhou por cima das pedrinhas (em passos lentos) buscando firmar os pés diante do pequeno desconforto que é andar sobre pedras, porém, não desistiu. Seguiu numa trilha incansável com repetidas idas e vindas, sorrindo, suando, feliz da vida. Curtindo a nova descoberta e a conquista em andar sobre as pedrinhas. Até que espontaneamente, senta-se e começa a pegar as pedrinhas e jogá-las. Naquele instante, outro sorriso aparece como resposta ao novo som que ouviu mediante a ação realizada e descoberta: o barulhinho das pedrinhas. Agora sim, ele gostou mesmo foi de jogar as pedrinhas. Ele não parava de jogar, era incansável a vontade de continuar jogando tantas pedrinhas. Uma graça!

Resolvi entrar na brincadeira, e também joguei pedrinhas. Uma alegria só! Depois busquei alguns potinhos coloridos, os entreguei e propus: “- Filho, você também pode colocar as pedrinhas nos potinhos!” Ele prontamente experimentou e, começou a colocá-las nos potes. Todo concentrado, enchia os potinhos com as pedrinhas e depois virava os potes derrubando as pedrinhas. Seguiu brincando com as pedrinhas. Ali se consolidava mais um momento de desenvolvimento da coordenação motora e da concentração da criança através do brincar.

no quintal2Simples brincadeiras ao ar livre resultam em vivencias e experiências sensoriais que geram “alimento” para o cérebro da criança. Elas descobrem potenciais e reconhecem seu corpo.

As atividades sensoriais espontâneas são uma parte essencial do desenvolvimento da criança e do bebê, pois os ajudam a descobrir e desenvolver um conhecimento de seus corpos e como eles se relacionam e retém o conhecimento de seu mundo. Daí, vemos o quanto é importante deixar a criança explorar o “mundo”, deixar fluir o brincar espontâneo.

As vivencias sensoriais devem fazer parte da rotina infantil. Elas acontecem espontaneamente em diversos ambientes, pode ser dentro de nossa casa, no quintal, na escola, em parques, em clubes, nas praças, etc. É simples, agente faz a nossa parte: estimula a criança a deixá-la livre para brincar e, a riqueza das descobertas somadas à beleza das brincadeiras, fica por conta da criançada. Elas se garantem!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s